Artesanato

Imprimir

 :: Artes e Tradições 

Na tradição artesanal destacou-se a confecção caseira em linho, perdida para a indústria do algodão. O pisão de Fráguas melhorava o acabamento do burel tecido em casa. Fazem-se ainda trabalhos de azulejaria, cerâmica, restauro e ferro forjado (V. N. de Paiva), cestaria e tamancaria (Pendilhe, Alhais, V. N. de Paiva e Queiriga), mantas de lã (V. N. de Paiva e Pendilhe), vestuário de burel e meias (Pendilhe), miniaturas em madeira de alfaias agrícolas (Vila Cova-à-Coelheira e V. N. de Paiva), cantaria (Alhais e V. N. de Paiva), trabalhos figurativos em granito (Fráguas).
 

:: Artesãos 

 Capuchas de Burel

 1 Celisa Silva Oliveira Coelho nasceu em 1952, em Pendilhe. Devido aos Invernos rigorosos que se faziam sentir pelas Terras do Demo, o burel constituía um dos principais materiais para a confecção de vestuário. Há mais ou menos vinte anos, a D. Celisa retomou a confecção, sobretudo de capuchas, capas, gorros em burel, utilizados em exposições, venda de artesanato ou feitos por encomenda.

 

Cestas

2 Manuel da Costa nasceu em 1926 na Freguesia de Queiriga mas reside actualmente em Vila d’um Santo.
A sua actual condição de reformado despoletou o gosto pela confecção de cestas em castanho, em vários formatos e tamanhos, que executa desde há três anos.
O material utilizado requer certos cuidados, especialmente a desfiar e manejar a madeira, por isso constitui um processo um pouco lento.

 

Cestas em vime

3 António Inácio nasceu na freguesia de Pendilhe, em 1932. As cestas em vime, arte que aprendeu e pratica desde os seus 23 anos de idade, constituía um meio de subsistência juntamente com a agricultura. Actualmente funciona apenas como uma actividade praticada nos tempos livres ou mediante encomenda dado que o material utilizado - o vime - requer múltiplos tratamentos até que esteja pronto para ser trabalhado.

 

Escultura em granito

4 José Manuel Pais Rodrigues nasceu em Fráguas, no concelho de Vila Nova de Paiva, em 1970.
Trabalha o granito e o mármore há mais ou menos 10 anos. As suas esculturas, segundo o próprio afirma, são produto do seu estado de espírito e sentimentos. Os seus trabalhos são variados e recriam animais, silhuetas humanas, corpos nus à semelhança da antiga arte grega, bustos, emblemas, entre outros. As suas obras estão espalhadas um pouco por todo o concelho, em associações, instituições, unidades hoteleiras e em residências particulares.
Actualmente, este artesão encontra-se a trabalhar um bloco granítico que resultará numa escultura que poderá ser admirada na primeira rotunda no sentido Viseu - Vila Nova de Paiva.

 

Escultura em granito e madeira

5 Orlando Pereira Gomes, nasceu em Fráguas, concelho de Vila Nova de Paiva, no ano de 1961. É professor do 2º ciclo do ensino básico, variante de Educação Visual e Tecnológica, licenciado pelo Instituto Piaget de Viseu.
Adoptou o nome artístico de “Gomes Pereira”, tendo já algumas obras distribuídas. Teve alguns convites para expor, contudo, expôs pela primeira vez em 2005, na sede da Associação Social, Cultural, Recreativa e Desportiva de Fráguas.
Os materiais que utiliza são dos mais variados desde as madeiras, o ferro, o granito e os seixos do rio, os quais conjuga para criar formas harmoniosas com grande sentido artístico.

 

Escultura em madeira

 6 Alcíades Afonso Figueiredo nasceu em Alhais, concelho de Vila Nova de Paiva, no dia 26 de Maio, no ano de 1938.
Já teve alguns convites para expor tem vendido as suas peças para colecções privadas de familiares e amigos. 
Compõe peças de santos (as), bonecos e seres, há mais de quinze anos, em harmoniosas imitações/reproduções de matérias, quer reais, quer abstractas, inspiradas nos gestos do seu quotidiano rural e natural.
Na verdade, realiza peças de acordo com o seu estado de espírito, criando obras singulares não só na Arte Sacra, mas também na Arte Profana e Abstracta. 
Os seus materiais de elite são diversificados desde a madeira de Castanho envelhecido, o Amieiro e o Pinho, os quais associa para criar formas harmoniosas e grandemente marcadas pela ruralidade.

 

Ferro forjado

 7 João Trindade Coelho nasceu no ano de 1928, em Vila Nova de Paiva.Trabalha o ferro forjado desde os seus 12 anos de idade. Fez uma paragem para ir à tropa e retomou a actividade por volta da década de 80. Da sua colecção fazem parte essencialmente peças decorativas como castiçais, camélias, candeeiros, suportes, etc.
Digno artista do ferro forjado, o mestre João Coelho restaurou o relógio da Capela de S. Francisco, peça do século XVIII.

 

Meias de lã

 8 Conceição Pereira Batista é natural de Pendilhe e nasceu no ano de 1932.
Antigamente, o ensinamento de certas actividades passava de mães para filhas. As meias de lã pura de ovelha são um exemplo disso. Esta actividade é praticada pela D. Conceição desde os seus 10 anos de idade até aos dias de hoje. A única diferença, actualmente, reside na dificuldade de conseguir lã virgem recorrendo, assim, à industrial.

 

Peças em miniatura 

 10 Alberto Cruz nasceu em 1944 e é natural da freguesia de Touro.
Comerciante de profissão, começou há um ano e meio a dedicar-se à construção de réplicas em miniatura quer de edifícios, quer de objectos antigos utilizados na lavoura e nas tarefas caseiras.Da sua lista de obras executadas enumera-se as réplicas da Câmara Municipal, da Igreja Matriz e da Escola Primária de Touro, da Capela do Senhor da Boa Sorte, de objectos como dobadouras, carros de bois, canastros, utensílios da lavoura, entre outros. 
Os seus materiais de eleição são as madeiras (castanho, carvalho, mogno, cerejeira), a palhinha e o ferro.

 

Peças em miniatura 

 11 Dinis Bastos nasceu em 1948 no lugar de Pedaçães, freguesia  de Lamas do Vouga, em Águeda e reside actualmente em Queiriga, no concelho de Vila Nova de Paiva.
Comerciante de profissão, começou há mais ou menos cinco anos a  dedicar-se à construção de réplicas em miniatura de objectos antigos utilizados na lavoura e nas tarefas caseiras.
Dos seus objectos já efectuados enumeram-se réplicas em miniatura de canastros, caniças, eiras, carros de vacas, arados, entre outros. 
Os materiais que mais utiliza são as madeiras (castanho, pinho), plásticos e ferro.



Rendas

 12 Maria da Conceição nasceu em 1950 e vive em Alhais.
Trabalha nesta arte desde os nove anos de idade, quando começou a aprender com a ajuda das vizinhas. Desde então nunca mais parou e os seus trabalhos são muito procurados pela sua beleza e originalidade.