Imprimir

VESPA VELUTINA (Vespa Asiática)

A Vespa velutina, como espécie invasora que tem vindo a aumentar, causa efeitos negativos graves em três áreas distintas: no ambiente e biodiversidade, na saúde pública e na apicultura.

Os efeitos negativos da Vespa velutina quer no ambiente, quer na biodiversidade devem-se à forte predação de abelhas e de outros insetos polinizadores, no período de julho a novembro, reduzindo as populações destes insetos necessários para a polinização, e consequente manutenção do equilíbrio dos ecossistemas.

A Vespa velutina constitui um perigo para a segurança das populações e para a saúde pública devido à sua elevada agressividade. Este perigo é maximizado quando perturbadas nos ninhos, os quais são de grande dimensão e populosos, muito frequentemente construídos junto das zonas urbanas e periurbanas, pelo que se recomenda que só pessoal especializado deva intervir na destruição de ninhos.

Assim, solicita-se que quem identificar um ninho de Vespa velutina não deve interferir com o mesmo, mas sim contactar de imediato os serviços da Proteção Civil da Câmara Municipal de Vila Nova de Paiva, comunicando a sua localização para posterior identificação, intervenção e destruição dos respectivos ninhos.

Serviços de Proteção Civil da C.M. Vila Nova de Paiva – 232 609 900

vespa net V3 Folheto VESPA C AB1197 V2 Folheto VESPA Interior vespa 1527155063IMAGEM 1
1527155209IMAGEM 2        

 

Entrou recentemente em funcionamento (12 de novembro de 2019) a nova plataforma online de Informação designada de STOPVespa, que substitui a anterior plataforma SOS Vespa.
Através do link http://stopvespa.icnf.pt/ abrir-se-á uma página com informação sobre esta ferramenta online, que incluirá os acessos aos dois formulários que a integram: cidadãos e municípios.

Formulário para os cidadãos

Todos os registos efetuados pelos cidadãos dão origem a notificação, via e-mail,  para os municípios a que dizem respeito, utilizando os endereços anteriormente solicitados.
Cada e-mail de notificação incluirá uma referência que servirá, posteriormente, para o município visualizar esse registo no mapa e ter acesso à respetiva informação.
Contudo, não é possível fazer a ligação da informação entre os dois formulários, pelo que os registos efetuados pelos cidadãos servirão apenas como alerta para os municípios, que necessitarão de carregar novamente essa informação no seu respetivo módulo após validação e, no caso dos ninhos, após a sua destruição.
 
A plataforma STOPVespa é apenas uma solução de recurso para substituir a anterior Plataforma SOSVespa enquanto não é possível a construção do Sistema de Informação e Vigilância de Espécies Exóticas Invasoras, processo que terá o seu curso próprio e que levará, por isso, algum tempo.
A nova plataforma eletrónica, prevista no artigo 23.º do Decreto-Lei n.º 92/2019, de 10 de julho, irá concentrar toda a informação sobre a ocorrência de espécies exóticas invasoras em território nacional, mas esse será tema para o futuro, ainda sem data prevista.
     
Foram preparadas instruções para o preenchimento do formulário, acessíveis a partir da página de entrada da ferramenta STOPVespa.
 
Para qualquer esclarecimento utilizar os contactos:  Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.  ou  Tel. 213 507 900.